SANTOS MISTÉRIOS

OS MISTÉRIOS DO SANTO ROSÁRIO 

O Rosário é composto por vinte "mistérios" (eventos, momentos significativos) da vida de Jesus e de Maria, divididos depois da Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, em quatro Coroas.


A primeira Coroa compreende os mistérios gozosos (segundas-feiras e sábados), a segunda os luminosos (quintas-feiras), a terceira os dolorosos (terças e sextas-feiras) e a quarta os gloriosos (quartas-feiras e domingos).

icone home 01.png

Mistérios Gozosos - Segunda feira e Sábado

1º Mistério

A Anunciação do Anjo à Virgem Maria

Contemplamos o mistério da Anunciação do Anjo à Virgem Maria. Observamos a humildade, o amor a Deus e a entrega de total de Maria, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (1, 26-38):

A Anunciação do Anjo à Virgem Maria

O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria. Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo. Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação. O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem? Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, porque a Deus nenhuma coisa é impossível. Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela."

Meditação: Alegrai-vos! Não tenha medo! Hoje o Senhor nos chama dar o sim para o nascimento de Jesus em nosso coração, em nossa existência, acolhendo o plano de Deus para nossa vida. Deus está no comando de nossas vidas!

2º Mistério

A visitação de Maria a sua prima Santa Isabel

Contemplamos o mistério da visita de Maria a sua prima Santa Isabel meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (1, 39-56):

Naqueles dias, Maria preparou-se e foi depressa para uma cidade da região montanhosa da Judeia, onde entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel.  Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o bebê agitou-se em seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.  Em alta voz exclamou: "Bendita é você entre as mulheres, e bendito é o filho que você dará à luz! Mas por que sou tão agraciada, ao ponto de me visitar a mãe do meu Senhor?  Logo que a sua saudação chegou aos meus ouvidos, o bebê que está em meu ventre agitou-se de alegria. Feliz é aquela que creu que se cumprirá aquilo que o Senhor lhe disse!"  O cântico de Maria Então disse Maria: "Minha alma engrandece ao Senhor,  e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, pois atentou para a humildade da sua serva. De agora em diante, todas as gerações me chamarão bem-aventurada,  pois o Poderoso fez grandes coisas em meu favor; santo é o seu nome.  A sua misericórdia estende-se aos que o temem, de geração em geração.  Ele realizou poderosos feitos com seu braço; dispersou os que são soberbos no mais íntimo do coração. Derrubou governantes dos seus tronos, mas exaltou os humildes. Encheu de coisas boas os famintos, mas despediu de mãos vazias os ricos.  Ajudou a seu servo Israel, lembrando-se da sua misericórdia  para com Abraão e seus descendentes para sempre, como dissera aos nossos antepassados".  Maria ficou com Isabel cerca de três meses e depois voltou para casa.

Meditação: Deus nos chama a sair ao encontro dos irmãos, subir a montanha para, em companhia de Maria, como portadores das palavras de Cristo. Não só de pão os homens necessitam, mas também de amor, conforto, apoio e conhecimento da palavra do Senhor. Virgem de Fátima, intercedei junto à Cristo para que possamos vivenciar profundamente a alegria de levarmos Deus a quem Dele necessita!

3º Mistério

Nascimento do Menino Jesus, na gruta fria em Belém

Contemplamos o mistério do Nascimento do Menino Jesus, na gruta em Belém. Observamos a grandiosidade do amor de Cristo, verbo de Deus que se faz carne, divindade que se fez mortal e semelhante a nós em tudo, menos no pecado, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (2, 1-16):

Naqueles tempos apareceu um decreto de César Augusto, ordenando o recenseamento de toda a terra. Este recenseamento foi feito antes do governo de Quirino, na Síria. Todos iam alistar-se, cada um na sua cidade. Também José subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à Cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, para se alistar com a sua esposa Maria, que estava grávida. Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. Os pastores e os anjos Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou trazendo boas-novas de grande alegria para vocês, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Isto servirá de sinal para vocês: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura". De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo: "Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor". Quando os anjos os deixaram e foram para os céus, os pastores disseram uns aos outros: "Vamos a Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos deu a conhecer". Então correram para lá e encontraram Maria e José e o bebê deitado na manjedoura.

Meditação: O Verbo Encarnado brilha nas trevas, lançando a luz Deus para mostrar aos homens o que realmente importa neste mundo. A riqueza não está nas coisas terrenas. A humildade e a pureza de coração são as respostas para a nossa salvação.

4º Mistério

A apresentação do Menino Jesus no templo

Contemplamos o mistério da apresentação do Menino Jesus no templo, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (2, 21-22, 25-26):

Completando-se os oito dias para a circuncisão do menino, foi-lhe posto o nome de Jesus, o qual lhe tinha sido dado pelo anjo antes de ele nascer. Completando-se o tempo da purificação deles, de acordo com a Lei de Moisés, José e Maria o levaram a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor. (...) Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão, que era justo e piedoso, e que esperava a consolação de Israel. O Espírito Santo estava sobre ele. Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que ele não morreria antes de ver o Cristo do Senhor.

Meditação: O verdadeiro Templo, Jesus, é apresentado dentro de um templo antigo, que simboliza rituais e uma civilização antiga. É Maria quem apresenta o Cristo a todos. Também apresentamos, humildemente, nosso coração ao Senhor, nos abrindo para a ação do Espírito Santo em nossa vida.

5º Mistério

A perda e o encontro do Menino Jesus no templo discutindo com os doutores da Lei

Maria e José perderam Jesus, um menino de 12 anos, e após três dias de dor e sofrimento o encontram no templo no meio de doutores da lei ensinando a doutrina do Pai. Contemplamos a perda e o encontro de Jesus no templo de Jerusalém, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (2, 43, 45-47):

“Voltando seus pais para casa, o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que eles percebessem. (..) Não o encontrando, voltaram a Jerusalém para procurá-lo. Depois de três dias o encontraram no templo, sentado entre os mestres, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas. Todos os que o ouviam ficavam maravilhados com o seu entendimento e com as suas respostas.

Meditação: O menino Jesus manifesta sua autoridade perante os sábios da época, apontando o caminho da salvação. Cristo, ainda menino, disse aos que O procuravam: “não sabeis que deveria estar na casa do Pai”. Assim também hoje a casa do Pai e as Sagradas Escrituras são o caminho para nosso encontro pessoal com Cristo.  No estudo e reflexão da Bíblia podemos buscar o (re)encontro com Nosso Senhor, aprendendo a seguir o caminho por Ele indicado.

icone home 01.png

Mistérios Luminosos – Quinta-feira

1º Mistério

Jesus humildemente nos mostra que a aceitação de Deus como único Senhor é o caminho para nossa salvação. Contemplamos o Seu batismo no rio Jordão, meditando nas palavras do Evangelho segundo Mateus (3, 13-17):

Batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo no rio Jordão

Então Jesus veio da Galileia ao Jordão para ser batizado por João.  João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: "Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?" Respondeu Jesus: "Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça". E João concordou.  Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento, o céu se abriu, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. Então uma voz dos céus disse: "Este é o meu Filho amado, de quem me agrado".

Meditação: Jesus, nosso Redentor, de maneira humilde, é batizado por João. O momento é selado pela voz do Pai resgando os céus e, recebendo o Espírito, Jesus é investido e sua missão. Da mesma forma, sentimos a força do Pai que nos envolve e nos chama à conversão. Jesus Cristo é luz e quem o segue terá a luz da vida (Jo, 8, 12).

2º Mistério

Primeiro milagre de Nosso Senhor Jesus Cristo transformando a água em vinho nas bodas de Caná

Contemplamos aqui a auto-revelação de Nosso Senhor Jesus Cristo, meditando nas palavras do Evangelho segundo João (2, 1-11). A pedido de Maria, Jesus realizou seu primeiro milagre transformando a água em vinho:

No terceiro dia houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava ali; Jesus e seus discípulos também haviam sido convidados para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: "Eles não têm mais vinho". Respondeu Jesus: "Que temos nós em comum, mulher? A minha hora ainda não chegou".  Sua mãe disse aos serviçais: "Façam tudo o que ele mandar".  Ali perto havia seis potes de pedra, do tipo usado pelos judeus para as purificações cerimoniais; em cada pote cabiam entre oitenta e cento e vinte litros. Disse Jesus aos serviçais: "Encham os potes com água". E os encheram até a borda. Então lhes disse: "Agora, levem um pouco ao encarregado da festa". Eles assim fizeram, e o encarregado da festa provou a água que fora transformada em vinho, sem saber de onde este viera, embora o soubessem os serviçais que haviam tirado a água. Então chamou o noivo e disse: "Todos servem primeiro o melhor vinho e, depois que os convidados já beberam bastante, o vinho inferior é servido; mas você guardou o melhor até agora". Este sinal milagroso, em Caná da Galileia, foi o primeiro que Jesus realizou. Revelou assim a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

Meditação: Por intercessão de Maria, o Messias faz com que todos possam compartilhar da alegria, aqui representada pelo vinho servido. As talhas parecem multiplicar-se, guardando o melhor vinho, à imagem da própria Igreja que, nos seus membros – vasos de barro, transporta o vinho novo da aliança renovada. Podemos sentir a força da multiplicação da vida nova quando aderimos à mensagem de Jesus Cristo.   

3º Mistério

Anunciação do Reino de Deus e o convite de à conversão

Contemplamos o convite de Jesus a nos convertermos, anunciando o Reino de Deus, meditando nas palavras do Evangelho segundo Marcos (1,14-15):

Depois que João foi preso, Jesus foi para a Galileia, proclamando as boas-novas de Deus. "O tempo é chegado", dizia ele. "O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas-novas!"

Meditação: Jesus é a Boa-Nova que traz a esperança de um mundo melhor para todos os homens. Somos convidados a sentir a força das mãos do Senhor que indicam o caminho do Reino anunciado.

4º Mistério

A transfiguração de Nosso Senhor no Monte Thabor

Contemplamos a transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo, meditando nas palavras do Evangelho segundo Marcos (9, 28-36), o momento em que Ele mostra aos Apóstolos e a todos os seres humanos a Sua verdadeira essência divina:

Jesus tomou consigo Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar. Enquanto orava, a aparência de seu rosto se transformou, e suas roupas ficaram alvas e resplandecentes como o brilho de um relâmpago. Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias. Apareceram em glorioso esplendor e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém. Pedro e os seus companheiros estavam dominados pelo sono; acordando subitamente, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele. Quando estes iam se retirando, Pedro disse a Jesus: "Mestre, é bom estarmos aqui. Façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias". (Ele não sabia o que estava dizendo.) Enquanto ele estava falando, uma nuvem apareceu e os envolveu, e eles ficaram com medo ao entrarem na nuvem. Dela saiu uma voz que dizia: "Este é o meu Filho, o Escolhido; ouçam-no!" Tendo-se ouvido a voz, Jesus ficou só. Os discípulos guardaram isto somente para si; naqueles dias, não contaram a ninguém o que tinham visto.

Meditação: Mais uma vez se ouve a voz de Deus. Diante dos mais íntimos desenrola-se uma atmosfera de luz, refletindo a glória da divindade no rosto de Jesus. Pedro, Tiago e João assistiram à prefiguração da luz do Ressuscitado: Cristo, entre Moisés e Elias. Somos chamados a viver, em Cristo, uma vida inundada de claridade e transfigurada pelo Espírito Santo. A luz pascal de Cristo, o filho amado, nos orienta no caminho a seguir.

5º Mistério

A Instituição da Eucaristia na Última Ceia

Contemplamos o mistério da instituição da Eucaristia, no momento em que Jesus nos oferece seu próprio corpo e sangue como alimento espiritual, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (22, 14-20):

Quando chegou a hora, Jesus e os seus apóstolos reclinaram-se à mesa. E disse-lhes: "Desejei ansiosamente comer esta Páscoa com vocês antes de sofrer. Pois eu digo: Não comerei dela novamente até que se cumpra no Reino de Deus". Recebendo um cálice, ele deu graças e disse: "Tomem isto e partilhem uns com os outros. Pois eu digo que não beberei outra vez do fruto da videira até que venha o Reino de Deus". Tomando o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: "Isto é o meu corpo dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim". Da mesma forma, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: "Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês.

Meditação: o banquete daquela noite antecedia o sacrifício do dia seguinte, que selaria a nova e eterna aliança envolta no mistério da Eucaristia. No pão partido e no vinho contido no cálice o próprio Cristo se faz alimento, por Seu extremo amor à humanidade! Somos convidados a participar deste mistério da Eucaristia, alimento da vida, em nossa Igreja, que nos oferece o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo (Memórias da Irmã Lúcia). Participando da ceia do Senhor, podemos sentir continuamente os frutos da redenção!

icone home 01.png

Mistérios Dolorosos – Terça e Sexta-feira  

1º Mistério

1º MISTÉRIO: A AGONIA DE JESUS (Gêtsemani: vigilância, intercessão, oração)

Contemplamos a agonia de Nosso Senhor, no Horto das Oliveiras, meditando nas palavras do Evangelho segundo Mateus (26, 36-46):

A oração e a agonia no Horto das Oliveira

Então Jesus foi com seus discípulos para um lugar chamado Getsêmani e lhes disse: "Sentem-se aqui enquanto vou ali orar". Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: "A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo".  Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: "Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres". Depois, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. "Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?", perguntou ele a Pedro. "Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca." E retirou-se outra vez para orar: "Meu Pai, se não for possível afastar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade".  Quando voltou, de novo os encontrou dormindo, porque seus olhos estavam pesados. Então os deixou novamente e orou pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras. Depois voltou aos discípulos e lhes disse: "Vocês ainda dormem e descansam? Chegou a hora! Eis que o Filho do homem está sendo entregue nas mãos de pecadores. Levantem-se e vamos! Aí vem aquele que me trai!"

Meditação: Jesus mesmo sabendo tudo o que iria lhe acontecer, suportou toda tristeza e foi obediente ao Pai. Somos convidados a seguir o exemplo de Jesus, aceitando todas as coisas que nos acontecem, boas ou ruins, pois são frutos da vontade de Deus. “Seja feita a Vossa vontade”, Senhor! Só Ele sabe o que é melhor para cada um de nós. Sentimos o apelo de escutar a vontade de Deus e mesmo na diversidade não devemos duvidar de Sua presença.  

2º Mistério

Flagelação de Nosso Senhor Jesus Cristo

Contemplamos a flagelação de Nosso Senhor, Seu sofrimento e humilhação, meditando nas palavras do Evangelho segundo Mateus (27, 24-26):

Quando Pilatos percebeu que não estava obtendo nenhum resultado, mas, ao contrário, estava se iniciando um tumulto, mandou trazer água, lavou as mãos diante da multidão e disse: "Estou inocente do sangue deste homem; a responsabilidade é de vocês".  Todo o povo respondeu: "Que o sangue dele caia sobre nós e sobre nossos filhos!" Então Pilatos soltou-lhes Barrabás, mandou açoitar Jesus e o entregou para ser crucificado.

Meditação: O amor que Jesus sente por cada um de nós não pode ser imaginado. A humilhação e a dor sofrida para cumprir o que o antigo profeta havia vislumbrado, assumindo as dores de toda a humanidade, por todos os pecadores que viveram em tempos antigos e dos que viverão nas futuras gerações. Devemos lembrar que sempre que pecamos, negamos a presença de Deus, somos os carrascos que torturaram Jesus. Estejamos atentos para que, conscientes da dor e paixão de Cristo, nossa vida contribua para a vitória pascal da humanidade.

3º Mistério

A coroação de espinhos de Nosso Senhor Jesus Cristo

Contemplamos a coroação de espinhos de Nosso Senhor Jesus Cristo, meditando nas palavras do Evangelho segundo Mateus (27, 24-26):

Então, os soldados do governador levaram Jesus ao Pretório e reuniram toda a tropa ao seu redor. Tiraram-lhe as vestes e puseram nele um manto vermelho; fizeram uma coroa de espinhos e a colocaram em sua cabeça. Puseram uma vara em sua mão direita e, ajoelhando-se diante dele, zombavam: "Salve, rei dos judeus!"

Meditação: Conforme profetizado, Cristo assuem ser rei de um reino que não é deste mundo. A coroa de espinhos é a verdadeira imagem deste reinado: o amor até o fim. Pela dor e pelo sangue derramado, o perdão de nossos pecados. Este mesmo sangue é derramado na celebração eucarística de cada missa, que nos redime dos pedados, nos cura e liberta.

4º Mistério

Nosso Senhor carregando a Cruz nas costas a caminho do Calvário

Contemplamos a subida dolorosa de Nosso Senhor Jesus carregando sua própria Cruz até  o Calvário, meditando nas palavras do Evangelho segundo Lucas (23, 26-32):

Enquanto o levavam, agarraram Simão de Cirene, que estava chegando do campo, e lhe colocaram a cruz às costas, fazendo-o carregá-la atrás de Jesus. Um grande número de pessoas o seguia, inclusive mulheres que lamentavam e choravam por ele. Jesus voltou-se e disse-lhes: "Filhas de Jerusalém, não chorem por mim; chorem por vocês mesmas e por seus filhos! Pois chegará a hora em que vocês dirão: 'Felizes as estéreis, os ventres que nunca geraram e os seios que nunca amamentaram!'  'Então dirão às montanhas:"Caiam sobre nós!" e às colinas: "Cubram-nos!" ' Pois, se fazem isto com a árvore verde, o que acontecerá quando ela estiver seca?" Dois outros homens, ambos criminosos, também foram levados com ele, para serem executados

Meditação: A humanidade figurada em forma de cruz é abraçada por Jesus Cristo e carregada ao lugar do sacrifício, pois é necessário que naquele momento o Amor fale mais alto e redima o mal. A cruz é a premissa para o caminho. “Se alguém quiser seguir-Me, tome a sua cruz (Lc 9,23). Nossas cruzes diárias são o caminho para redenção e salvação. Estejamos dispostos a abraçr e aceitar a nossa cruz, como prova de amor a Cristo, Sejamos servos fieis seguindo nosso Mestre!

5º Mistério

A Crucificação e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo

Contemplamos a crucificação e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, meditando nas palavras do Evangelho segundo João (19, 17-30):

Levando a sua própria cruz, ele saiu para o lugar chamado Caveira (que em aramaico é chamado Gólgota). Ali o crucificaram, e com ele dois outros, um de cada lado de Jesus. Pilatos mandou preparar uma placa e pregá-la na cruz, com a seguinte inscrição: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. Muitos dos judeus leram a placa, pois o lugar em que Jesus foi crucificado ficava próximo da cidade, e a placa estava escrita em aramaico, latim e grego. Os chefes dos sacerdotes dos judeus protestaram junto a Pilatos: "Não escrevas 'O Rei dos Judeus', mas sim que esse homem se dizia rei dos judeus". Pilatos respondeu: "O que escrevi, escrevi". Tendo crucificado Jesus, os soldados tomaram as roupas dele e as dividiram em quatro partes, uma para cada um deles, restando a túnica. Esta, porém, era sem costura, tecida numa única peça, de alto a baixo.

"Não a rasguemos", disseram uns aos outros. "Vamos decidir por sorteio quem ficará com ela." Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura que diz:
"Dividiram as minhas roupas entre si, e tiraram sortes pelas minhas vestes".
Foi o que os soldados fizeram. Perto da cruz de Jesus estavam sua mãe, a irmã dela, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe ali, e, perto dela, o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: "Aí está o seu filho", e ao discípulo: "Aí está a sua mãe". Daquela hora em diante, o discípulo a recebeu em sua família. Mais tarde, sabendo então que tudo estava concluído, para que a Escritura se cumprisse, Jesus disse: "Tenho sede". Estava ali uma vasilha cheia de vinagre. Então embeberam uma esponja nela, colocaram a esponja na ponta de um caniço de hissopo e a ergueram até os lábios de Jesus. Tendo-o provado, Jesus disse: "Está consumado!" Com isso, curvou a cabeça e entregou o espírito.

Meditação: precisamos nos dar conta de que todo sofrimento na terra não tem comparação ao do Senhor na cruz. Por amor à humanidade suportou dores incalculáveis, humilhou-se, foi desprezado e tratado como o pior dos criminosos. Neste mistério nos recordamos que o maior tesouro de um cristão é a CRUZ. Que cruz Sagrada seja a nossa luz e a morte redentora de Cristo possa atrair a todos.

icone home 01.png

Mistérios Gloriosos – Quarta-feira e Domingo

1º Mistério

Contemplamos a ressurreição de Jesus, meditando nas palavras do Evangelho segundo Mateus (28, 1-6):

A Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo

Depois do sábado, tendo começado o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que sobreveio um grande terremoto, pois um anjo do Senhor desceu dos céus e, chegando ao sepulcro, rolou a pedra da entrada e assentou-se sobre ela. Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve. Os guardas tremeram de medo e ficaram como mortos. O anjo disse às mulheres: "Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito.

Meditação: Em cumprimento às antigas escrituras, Cristo ressuscitou do sepulcro: Deus venceu a morte. Ouçamos a palavra com a certeza de que, em companhia de Deus, é possível triunfar sobre o pecado e a morte. A morte não é o fim para aqueles que crêem em Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz de Cristo àqueles que O seguem.

2º Mistério

A Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo

Contemplamos a ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo ao Céu, meditando nas palavras do Evangelho segundo o Livro do Ato dos Apóstolos (1, 6-11):

Então os que estavam reunidos lhe perguntaram: "Senhor, é neste tempo que vais restaurar o reino a Israel?" Ele lhes respondeu: "Não compete a vocês saber os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade. Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra". Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu da vista deles. E eles ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele subia. De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: "Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado aos céus, voltará da mesma forma como o viram subir".

Meditação: à vista dos escolhidos, Jesus elevou-se aos céus. Desaparecendo aos olhos humanos, passou a ser visto pelos corações esclarecidos pela fé. As testemunhas da ascensão são agora os motores da missão e saem ao mundo ensinando, batizando, testemunhando e fazendo discípulos seguidores do mandamento maior: o Amor. Roguemos para que sejamos capazes de abrir nossos corações para a luz do céu entrar. Estejamos abertos para que, junto a Cristo, possamos ser evangelizadores no mundo em vivemos, anunciando a Salvação.

3º Mistério

A descida do Espírito Santo sobre a Igreja Nascente

Contemplamos a vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos reunidos com a Virgem Maria em Jerusalém, no Santo Cenáculo, meditando nas palavras do Evangelho segundo o Livro do Ato dos Apóstolos  (1, 12-14; 2,1-4):

Achavam-se presentes Pedro, João, Tiago e André; Filipe, Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão, o zelote, e Judas, filho de Tiago. Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele. Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava.

Meditação: A linguagem humana será sempre limitada  para descrever a força do Espírito Santo. O Espírito Santo que recebemos no Batismo é nosso condutor, um sopro do criador que nos orienta. Precisamos aprender a escutar o Espírito Santo e abrir nossos corações para sua ação, ao mesmo tempo em que somos moldados pela meditação da Palavra.

4º Mistério

A Assunção de Nossa Senhora aos Céus de corpo e alma

Contemplamos a assunção de Nossa Senhora ao Céu, meditando nas palavras do Livro do Apocalipse (12, 1):

Apareceu no céu um grande sinal: uma Mulher vestida de Sol, com a Lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça.

Meditação: o encontro da Mãe com o Filho no céu. Concebida sem pecado Virgem Santa merecedora de todas as graças, Maria alcançou a plenitude da salvação. Sua ação a favor da humanidade, sua alma espelhada no magnificat  (Lc 46-56) e sua humildade de coração nos recordam a grandeza e a misericórdia de Deus Pai. Como imagem da própria Igreja, Maria assume-se como prefiguração da ressurreição destinada aos membros do Corpo de Cristo. Roguemos pela intercessão da Virgem Maria para alcançarmos a vida eterna.

5º Mistério

A Coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra dos Anjos e dos Homens

Contemplamos a coroação de Nossa Senhora como Rainha de todos os anjos e santos, meditando nas palavras do Livro dos Salmos (44, 10):

À tua direita está a rainha ornada com ouro de Ofir.

Meditação: Maria, serva exemplar, alcançou a bem aventurança eterna e, inundada da luz de Deus, esbanja as graças do Alto. Nas palavras do Papa Francisco, “toda a existência de Maria é um hino à vida, um hino de amor à vida: ela deu à luz Jesus em carne e acompanhou o nascimento da Igreja no Calvário e no Cenáculo. O "Salus Populi Romani" é a mãe que nos dá saúde para crescer, enfrentar e superar problemas, nos libertar diante das escolhas finais; a mãe que nos ensina a ser frutífera, a estar aberta à vida e a ser sempre frutífera do bem, frutífera da alegria, frutífera da esperança, a nunca perder a esperança, a compartilhar a vida com os outros, a vida físico e espiritual (Meditação do Papa Francisco por ocasião de sua "posse" de Sainte-Marie-Majeure, 4 de maio de 2013). Roguemos à Virgem Maria, Rainha do mundo, que interceda por nós para que nos dê forças para que sejamos sinais e instrumentos de vida e, assim, sejamos merecedores da coroa da glória e das promessas divinas.

Paróquia Nossa
Senhora de Fátima 
Vila Leopoldina
Entre em contato

Rua Barão da Passagem, 971

Vila Leopoldina - São Paulo-SP-Brasil

 

Tel.: 11 3834 1532

nsrafatima@uol.com.br

Nossa Redes Socias

Escreva para nós!

  • Twitter - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco

© 2020 Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Desenvolvido por